sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

As Cobranças do Tempo



Ver os dias passando rápido assim é uma prova de como o tempo está voando e eu estou ficando cada vez mais velhos ou será que é um reflexo da abstração e falta de atenção com os dias ¿
 Bom, independente, hoje estou com 20 anos, jovem para quem hoje tem 50 anos e um tanto velho para quem ainda tem 15. Quando chegamos a uma certa idade costumamos olhar com os olhos cansados para traz procurando enxergar aquilo que construímos; o que eu construí ¿
Casas, patrimônios, riqueza, roupas caras...nada, só ilusões.
Talvez quando triste vejo que não construí nada que seja aplaudido ou premiado com uma medalha de honra ao mérito pelo sociedade. Mais, talvez eu não esteja olhando exatamente para aquilo que é importa para min; o sistema não se importa com oque é realmente importante para você e nos faz desviar a atenção. Você vai me dizer que não é o mundo que fica ofendido por minha falta de dedicação para uma vida cotidiana e tributável e sim, minha família... mais, não quer dizer na verdade que o próprio sistema ditador de valores e costumes não tenham plantado falsos valores na cabeça e no coração das pessoas; o sistema é foda.
E assim, faz com que eu me sinta triste, amargurado. Por não construir aquilo que é de costume outros construir.
Talvez realmente eu não tenha feito com que esse tempo que se passou tenha sido totalmente produtivo. Mais, os poucos momentos de alegria e contentamento que tive foram suficientes para fazer de min um sujeito melhor, enfim.
Acredito que cada um aproveita o seu tempo, a sua vida da maneira que lhe é conveniente, no tempo que lhe é conveniente e isso não quer dizer que vou ficar por aqui.
As vezes um sorriso faz uma vida valer a pena. J

Wagner A. França

The Beatles - Lp


Bom esse é o único Lp dos Beatles que eu tenho na minha coleção, é uma coletânea; Eu não gosto muito de coletâneas sabe, mais é dos Beatles.

Strawberry fields Forever…

...


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

...



Minha ausência aqui e na vida se faz por conta da falta de inspiração, aquela inspiração que nos procura, quando a noite está em silencio, quando você consegue se ouvir por dentro.
Essa inspiração que falo, que vinha; se foi.
Sinto-me agora como um velocista que não pode correr, que está amarrado.
Meus olhos cansam de olhar, minha mente de pensar, meu corpo de sentir, mais levaram de mim o que de mais importante eu tinha; ou talvez, quem sabe a culpa seja toda minha.
Fiz escolhas que permeiam entre o querer e o odiar, entre o amor e o repudio; mais nem sempre fiz a escolha certa.

É foda.

Entender



 Como entender o que é incompreensivo e aceitar o que é inaceitável, amargurar-se em silencio, não poder falar.
Pedaço de vida que não vale nada, tortura diária com desilusão.
Hora eu me sinto em profunda harmonia, sorrindo pro dia, sem nada temer.
Ao anoitecer eu mudo de idéia, prefiro enfim viver naquela, sem preocupação; pra regar minha vida com mais emoção.
Me deixe, pois assim não consigo ser o que sou.
Amor palavra distante, vazia; porque não procuras que te procurou?
Quem nunca sonhou em duas almas se encontrando por acaso, sem ligar pro pecado, pra concepção...
Mais ninguém entende, o fim dessa historia tão cheia de gloria e que se acabou.



Wagner França

I am Roots.



Bom, agora vou postar de vez em quando alguns Lp’s da minha coleção. Álbuns que me influenciaram e continuam me influenciando; mesmo com o áudio ruim e uma imagem também...pode ser que alguém tire algo de proveito pra si.


“Esse é o álbum Survival do grande Bob Nesta Marley de 1979. Estou ouvindo ultimamente muito reggae roots, como Peter Tosh, The Abyssinians, Max Rome...a lista é grande e a sensação de tranquilidade transmitida por esse estilo é inigualável.”



sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Minha Paz



Paz me leve com você,
Me leve pra qualquer lugar,
Onde eu possa descansar, enfim.
Paz me faça entender,
Porque tanto sofrer,
Porque não sou capaz.
Amar como amei um dia,
Quando tudo era poesia,
E eu nem queria entender.
Amar pela paz que preciso,
Ter você no paraíso,
Para nunca te esquecer.

           Wagner França

quarta-feira, 25 de abril de 2012

ūnus - ira





Venho aqui, por meio das minhas mãos cansadas e do meu pensamento incoerente, dizer que não agüento mais tudo isso.
Estive muito tempo procurando respostas pra minhas perguntas, pra minhas inquietações e não encontrei; parei aqui. Já não respiro, já nem vejo o quanto o dia brilha e o quanto o céu pode ser inspirador. A culpa talvez não seja só minha, talvez os dias fizeram  com que meus olhos se perdessem no vazio do horizonte...
Amor, eu não tenho, apesar de ser amado. O tempo passou e com ele passou as alegrias as coisas boas. As lembranças que deveriam ser a fonte, o combustível impulsionador, se perderam. Então, como filho dessa terra e herdeiro de erros que eu não cometi, venho aqui dizer que estou cansado; Além das historias, dos conceitos, das verdades... Eu não os quero!
Conte-me do tempo que a inocência era uma palavra viva e que seus votos de vitória e de lealdade eram convictos; Pobre, invalido de si, como uma pedra jogada ao desfiladeiro e esquecida por lá.
Pago os vossos erros em silencio, e sofro com isso. O quão justo é esse Deus vulgar sem escrúpulos, que berra aos quatro cantos que é superior, que devo obedecer a suas regras. Eu não tenho que me ajoelhar, eu não tenho que fazer nada. Talvez por isso, por não respeitar, por não aceitar esses votos estou aqui.
A vida vai além de tudo, vai além de mim e daquilo que quero e nem quero tanto assim. A paz tão almejada por meus irmãos e buscada por caminho errados, caminho esse que não dará em lugar algum. O que será de mim então?
Esperar sem expectativas, rezar sem fé e acreditar no que não existe; estou cansado, não viverei mais assim.
Agora, por mim e pelas minhas convicções, por aquilo que acredito continuarei a caminhar, não pararei assim. Continuarei respeitando aquilo que merece ser respeitado e o mais importante não me calarei. Calar seria errôneo, seria como sentir-se incomodado e não expor o seu incomodo; erro.
Hoje, transformarei o meu cansaço em força, minhas tristezas em esperanças, meus erros em virtudes, minhas alegrias em verdadeiras alegrias. Não me diga nada, não vou me ajustar a você, não me preocuparei nem em entendê-lo, pois agora, o que será mais importante pra mim, pra minha vida será eu mesmo em primeiro lugar, em segundo, será as pessoas assim como eu, que sofrem e que não merecem sofrer.
  
                                                               
                                                                          Wagner França

quarta-feira, 21 de março de 2012

Não me sinto.




  
Volto pra casa e encontro o mesmo sorriso pálido, calado.
Sem muito expressar o que sente.
Ora, se não sou digno de seus lábios, labirintos.
E vejo no mesmo céu o teu olhar.
Mil vezes me perdi a caminhar,
No escuro da selva do desencontro,
Nos lamentos do vento entre os escombros.
Das ternuras da lua a me rodear.
Como em um barco sem remos me ponho a navegar.
Nas ondas presas ao teu abraço.
Escuto longe, vazio e claro.
A tua voz perdida querendo me encontrar.
Eu já não me escondo, já não preciso me incomodar.
Fruto de ti, colhido.
Amarrado aos teus pés eu fico.
Não me movo, não me olho, não me sinto.


                                                             Wagner França

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Lamento codificado.


Hoje não existe riso em minha face,
Nem loucas historias que antes contaste,
São simples palavras que tu derrubaste,
Num traste de sonhos que pude viver.
Ao nascer do sol deslumbra-se o dia,
Em uma triste alegria, que vivo sentindo,
Teus olhos famintos ficam perseguindo,
Os meus que não podem brilhar.
As portas se abrem e eu torno a fechar,
Porque não encontro o verdadeiro caminho,
Não vivo sozinho, apesar de querer.
O amanhecer não faz mais sentindo.
Se eu grito o silencio não deixa ecoar.
A vida, perdida vai desabar.
Em minhas mãos que nunca vão poder segurar.


                                                  
                                                            Wagner França.